Bóson de Higgs -A partícula de Deus ou Bóson de Higgs.

A partícula de Deus.

Depois de quase 50 anos defendendo a existência de uma nova partícula subatômica, apelidada de "A partícula de Deus", já que teria dado origem à massa de todas as outras partículas, o cientista britânico Peter Higgs, pai desta teoria, disse nesta sexta-feira (6) que "é bom ter razão de vez em quando".

Na última quarta-feira (4), cientistas do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN, na sigla em francês) anunciaram a observação de uma partícula subatômica inédita até então.

Eles vêem fortes indícios de que se trate do “bóson de Higgs" - "A partícula de Deus", única partícula prevista pela teoria vigente da física que ainda não tinha sido detectada em laboratórios, e que vinha sendo perseguida ao longo das últimas décadas.

Pela teoria, o bóson de Higgs,"A partícula de Deus", teria dado origem à massa de todas as outras partículas.

As modificações feitas por Geraldo Cacique nos conceitos fundamentais da física, tornaram possível explicar a existência e o funcionamento da partícula denominada por “ A partícula de Deus ”-“Bóson de Higgs" .

1ª) – A gravidade é emitida pela energia emanada do Big Bang e pelos corpos materializados desta energia,que é tudo o que existente no universo.


Conceitos

Postulado da Gravidade

Qualquer quantidade de energia liberada pelo Big Bang emite continuamente partículas transportadoras de energia gravitacional, infinitamente pequenas, em todas as direções e com a velocidade da luz c. Por sua vez, essas partículas emitem mini-partículas com velocidade c à curta distância, que, ao chegarem em outras quantidades de energia, exercem uma força de atração gravitacional na direção de sua chegada.

Massivo:

É a unidade fundamental de energia que emite partículas de energia, denominada energétrons.

Energétron:

É a partícula de energia responsável pelo transporte dos mini-energétrons.

Mini-energétron:

É a partícula infinitesimal emitida com velocidade c pelos
energétrons, que, ao chegar em um massivo ou em um energétron tem a capacidade de exercer uma força de atração gravitacional f na direção de sua chegada. 

Emissão de energétrons:

Todo corpo, por possuir uma imensa quantidade de massivos, pela lei da probabilidade, emite
energétrons uniformemente em todas as direções na unidade de tempo, com velocidade c.

2ª) – A fórmula da força de gravidade pode ser expressa em função da distância D entre dois corpos ou tempo t que os energétrons levam para ir de um corpo ao outro.

Força de Gravidade Fg que um corpo A exerce sobre um corpo B parados no mesmo referencial.

Um corpo B parado no campo gravitacional do corpo A está ligado a este corpo através da linha de gravidadeAB. Assim, o corpo B é atraído em direção ao corpo A pela força de gravidade Fg, onde:

Atuação da Força de Gravidade Fórmula da Força de Gravidade
ou
Força de Gravidade

Fg = Força de gravidade que o corpo A exerce sobre o corpo B;

Ma = Massa do corpo A

Mb = Massa do corpo B

D = Distância entre o corpo A e o corpo B

t = tempo que o energétron vai de A até B com velocidade c.

G = constante gravitacional universal

= constante gravitacional, sendo

Força de Gravidade - Fv

Um observador no referencial de A  vê um energétron desta linha de gravidade AB percorrer a trajetória AB de comprimento D em um tempo t com velocidade c.

3) - A teoria da gravidade de Newton está incompleta, ela não leva em consideração a velocidade relativa v entre dois corpos no mesmo referencial, quando existe esta velocidade.

Força de gravidade entre dois corpos A e B quando existe uma velocidade relativa v entre eles.

Neste caso,a gravidade Fv entre dois corpos, quando existe uma velocidade v relativa entre eles será como na figura.

A força de gravidade Fv se em modulo e direção fazendo
um ângulo a com eixo
AB entre os dois corpos onde:

4ª) – Ao expressar a força de gravidade em função tempo tempo que os energètrons levam para irem de um corpo ao outro quando existe uma velocidade relativa v entre eles e fazendo o tempo t = to quando a velocidade v = 0, ou seja, quando os dois corpos estão parados no mesmo referencial, chegaremos à relatividade da gravidade, explicando como a força de gravidade se transforma na força forte responsável pela coesão entre as partículas subatômicas quando a velocidade v que uma delas órbita em torno da outra aproxima da velocidade da luz c.

Relatividade da Gravidade

É a comparação da força de Gravidade que um corpo A exerce sobre um corpo B quando existe uma velocidade relativa v entre eles e quando estão parados.

Logo:
Se v = 0, a força de gravidade será F0, será:
Se v#0, a força de gravidade será Fv, onde:
Dividindo [1] por [2], teremos:
Na fórmula da Relatividade do tempo temos:
Levando [4] em [3], teremos:

" Fórmula Antônio Cacique "
Força de Gravidade- Fórmula

Essa é a fórmula da relatividade da gravidade que denominei " Fórmula Antônio Cacique ". Ela compara o módulo da força de gravidade entre dois corpos quando existe uma velocidade relativa v entre eles e quando eles estão parados entre si, ou seja, v = 0.

Assim, quando conhecemos a velocidade relativa entre dois corpos A e B e as suas posições, podemos aplicar a Relatividade da Gravidade e definir, em módulo e direção, a força de gravidade F que faz um ângulo acom o eixo AB, conforme a figura abaixo:

Relatividade da Gravidade - Força de Gravidade Relatividade da Gravidade - Força de Gravidade

Tanto a Relatividade do Tempo quanto a Relatividade da Gravidade foram deduzidas de um triângulo retângulo virtual,  assim, elas só podem ser aplicadas em triângulos retângulos.

5ª) - Todos os corpos e partículas do universo possuem dois movimentos:

    -    O movimento de translação no universo:

     Esse movimento possui  velocidade uniforme e retilínea, adquirida no Big bang e cujo módulo varia com velocidade proporcional à sua distancia ao centro do universo verdadeiro, o local do Big bang.

    -    O movimento orbital entre as partículas e entre os astros::

     Esse movimento é o  responsável pelo equilíbrio estável existente na natureza,  proporcionado pela força gravitacional e a forças centrífuga, que aparece nos movimentos curvilíneos das partículas e dos astros.

6ª) - O movimento de expansão no universo verdadeiro das galáxias  com velocidade  uniforme e retilínea variando de 0 até velocidade próxima a da velocidade da luz    

O Universo Verdadeiro;

Universo Verdadeiro O Universo Verdadeiro é uma grande esfera, com um raio de 13,7 bilhões de anos luz cujo centro é o local do Big Bang. 



Todas as galáxias e quasares afastam-se do centro com velocidades de expansão no universo V uniformes que variamproporcionalmente às suas distâncias do centro.

7ª) – O movimento de expansão no universo visível das galáxias com velocidade uniforme e retilínea,  variando até a velocidade próxima a  da velocidade da luz c.    

,O Nosso Universo Visível

O Universo Visível O nosso Universo Visível é uma grande esfera de raio R = 13,7 bilhões de anos luz, com a Terra no seu centro, diferenciado do universo verdadeiro, apenas na forma de agrupamento das galáxias.

Todas as galáxias e quasares se afastam de nós com velocidade Va, cujos valores já são bem conhecidos pela Ciência através do Efeito Doppler, sendo também suas distâncias conhecidas pela Astronomia, através da constante de Hubble.

Há uma distribuição uniforme de quasares e galáxias dentro do nosso Universo Visível.

No instante em que observamos tais galáxias, estamos, na verdade, enxergando-as no passado, além de vê-las na posição exata em que elas ocupam nesse momento, como se a luz fosse transmitida instantaneamente, como é explicado no Efeito Cristina da luz.


Os universos visíveis são ilusões vistas por um observador em qualquer galáxia.

Aqui na Terra, vemos o nosso visível que é uma ilusão ótica, no entanto, para nós ele é verdadeiro. Mas, que milagre, que mágica é essa?

Podemos explicar essa mágica de uma maneira muita simples:

8ª) - O Efeito Mauricio

Através do Efeito Maurício, é possível que um observador numa galáxia, veja todas as outras se afastando dele, com velocidades Va, proporcionais às suas distâncias.

Expansão do Universo O par de galáxias P e L qualquer, com as suas velocidades Vp e Vt de expansão no universo, formam com o ponto O, local do Big Bang, o triângulo OLP, que cresce com a idade do Universo, gerando sempre triângulos semelhantes.

Sendo assim, um observador em uma delas, como por exemplo, em L, pensa estar parado, vendo a sua companheira, sempre, no mesmo ângulo de visada B.

Esse observador, na sua verdade, vê a outra galáxia afastando-se dele com a velocidade Va uniforme, já que, nos triângulos semelhantes, os lados são sempre proporcionais.

Como os lados OL e OP aumentam uniformemente com a idade do universo, o lado LP crescerá também com velocidade uniforme, dando a impressão ao observador em L que a sua galáxia companheira P, afasta-se dele com velocidade Va uniforme.

Isto vale para todas as galáxias, explicando como galáxias opostas afastam se da Terra.

Explicando também a existência dos universos visíveis.

9ª) O equilíbrio da natureza nas partículas sub atômicas

Partículas sub atômicas Duas partículas A e B subatômicas de massas iguais são mantidas em equilíbrio dinâmico quando a componente radial F4 e F6 das forças gravitacionais fortes, aplicada numa partícula, provocada pelos energétrons emitidos pela outra, equilibra com a força centrífuga Fc que aparece devido ao movimento circular das partículas. 
As componentes tangenciais F3 e F5 das forças gravitacionais fortes são responsáveis pelas
velocidades v dessas partículas. Na figura, vemos a linha gravitacional azul curva formada pelos energétrons emitidos por B, que exerce a força gravitacional forte F1 na partícula A e a linha gravitacional vermelha curva formada pelos energétrons emitidos por A, que exerce a força gravitacional forte F2 na partícula B.

Formação das partículas durante o Big bang

 Origem do Universo - Big Bang

A energia fundamental emitida pelo Big bang adquiriram velocidades de expansão no universo proporcionais às suas distancias ao local (O), inicio do Big bang.

Cada quantum Q dessa energia, quando terminou a fase de aceleração do universo, continuaram por inércia  com as suas velocidades de expansão Ve.

Na idade T1 eles se uniram aos pares pela gravidade lógica para materializar partículas do 1º nível A, na idade T2, duas dessas partículas A se uniram para formar um 2° nível de partículas B, em T3, por sua vez, foram encontrar com uma outra partícula B já formada, gerando a partícula C de 3º nível em T4, e assim por diante, criando partículas em níveis cada vez mais complexos, passando pelos átomos, pelos gases, até chegar às nebulosas, na idade T5 e depois nas galáxias, no tempo T6, cujas velocidades de expansão (Ve), adquiridas durante a fase de aceleração, são proporcionais às distâncias dessas ao centro do Universo.

As partículas de primeiro nível A deram origem à massa de todas as outras partículas, como a partícula de Deus. A ciência com os conceitos atuais da física não tiveram como explicar o funcionamento dessa partícula dando o apelido de Partícula de Deus, como se fosse criada por ele.

Todas as galáxias tiveram origem no caldo primordial de energia proveniente do Big Bang. Elas se afastam com velocidades uniformes, que são proporcionais às distâncias de cada uma delas ao centro do Universo. Quando as galáxias são formadas a partir das nebulosas, tendo em vista as grandes distâncias que as separam, a força gravitacional entre elas já não é forte o suficiente para fazê-las fundir-se numa estruturaainda maior. Sendo assim, surgem apenas aglomerados de galáxias ligadas pela gravidade, porém, distantes entre si. Esses aglomerados, por sua vez, formam os superaglomerados.

Na figura acima, no inicio do Big Bang os quantas de energia com suas velocidades Ve de expansão no universo, uniram se à quantas visinhos, através da força de gravidade lógica, materializando-se nas partículas A de primeiro nível.

Muitos quantas não encontraram um quantum vizinho para formar um par e se materializarem em partículas e continuaram por inércia com suas velocidades Ve. Hoje, eles representam 70% de gravidade das galáxias, como não emitem luz, são conhecidos pela ciência como ENERGIA ESCURA que emitem gravidade.

As partículas A de primeiro nível uniram-se à outras partículas A materializando-se nas partículas de níveis B, desta maneira sempre utilizando da gravidade lógica e mantendo as suas velocidades Ve,, por inércia, materializaram se em partículas de vários níveis até alcançarem o nível mais complexo, o dos átomos, partículas emitentes de luz.

Muitas partículas subatômicas não encontraram vizinhas para se materializaram em partículas de níveis superiores, mas, continuaram com suas velocidades de expansão no universo. Hoje são denominadas de MATERIA ESCURA” , por não emitir luz e representa 23% da gravidade das galáxias. São identificas por seus efeitos gravitacionais no universo.

Nesta pagina Deduções Lógicas explica os 3 dos mais importantes mistérios da física:

- O funcionamento da partícula elementar que deu origem a massa de todas elas, denominada “A PARTÍCULA DE DEUS” - “Bóson de Higgs";

- O que é e o funcionamento da ENERGIA ESCURA”.;

- O que é e o funcionamento da MATERIA ESCURA”..

9 comments for "Bóson de Higgs -A partícula de Deus ou Bóson de Higgs.".

Como descobriram a particula enviado por Visitante (não verificado(a))
Eu sou apenas um leigo, enviado por Visitante (não verificado(a))
Fórmula Antonio Cacique enviado por Geraldo Antunes...
Você ja ouviu falar na teoria enviado por Visitante (não verificado(a))
Fórmula Antonio Cacique enviado por Visitante (não verificado(a))
Na verdade a força forte não enviado por Geraldo Antunes...
Na verdade a força forte não enviado por Visitante (não verificado(a))
Fórmula Antonio Cacique enviado por Geraldo Antunes...
Fórmula Antonio Cacique enviado por Visitante (não verificado(a))

Comentarios

  • Se você gostou de Deduções Lógicas, ajude a divulgá-las, Curta e envie para seus amigos as nossas teorias pois como eu já disse são tantas e profundas as modificações que faço na física, que o conhecimento delas, levará ao homem uma fase extraordinária de progresso e de bem estar.

    Use os Botões abaixo


  • Esta pesquisa mostrará todas as páginas do site de Deduções Lógicas que possuem o termo digitado.

    Loading

    Usuários on line

    No momento há 1 usuário e 1 visitante online.